Leave a comment

The Chosen 10 #1 – As 10 maiores zebras da história do MMA

Boas! Abrimos mais um quadro aqui no In The Fight Club, o Chosen 10, um top 10 semanal que abordará alguns dos maiores momentos do MMA! NEsta semana, conheceremos as 10 maiores zebras da história do esporte, a história antes da luta e o momento que os lutadores estavam! Prontos? Então cliquem abaixo e deixe o Chosen 10 rolar!

10. Antonio ‘Bigfoot’ Silva vs. Fedor ‘The Last Emperor’ Emelianenko (Strikeforce – Fedor vs. Silva)

Antonio Silva

Cartel antes da luta: 15-2
Últimas 5 lutas: 4-1

Fedor Emelianenko

Cartel antes da luta: 31-2
Últimas 5 lutas: 4-1

Após Fedor ser derrotado por Fabricio Werdum, o Strikeforce resolveu criar um GP de pesos-pesados que prometia MUITO, 8 nomes bastante renomados em todo o mundo foram anunciados e todos esperavam ver a semifinal história entre Alistair Overeem (campeão do Strikeforce na época) e Fedor Emelianenko (ainda considerado o melhor do mundo), porém, em fevereiro de 2011, Fedor ainda teria que passar por Antonio ‘Bigfoot’ Silva, faixa-preta de Jiu-Jitsu cuja maior vitória no cartel era uma decisão unânime sobre Andrei Arlovski. Em uma noite história, Fedor subiu ao ringue e foi completamente e brutalmente dominado por 2 longos rounds, a luta se encerrou entre o 2º e o 3º quando Fedor, com o olho esquerdo completamente fechado, não tinha mais condições de continuar. Esta luta acabou com o status de Fedor ser o melhor do mundo e abriu discussões e argumentos para os fãs de Anderson Silva que hoje, para alguns, é o maior lutador de todos os tempos. Silva passou às semifinais e encarou Daniel Cormier, que eventualmente venceu o GP que começou grande e prometendo grandes duelos, mas após as saídas de Fedor e Overeem, acabou anunciando o fim da concorrência entre Strikeforce e UFC.

9. Tito ‘The Huntington Beach Bad Boy’ Ortiz vs. Ryan ‘Darth’ Bader (UFC 132 – Cruz vs. Faber 2)

Tito Ortiz

Cartel antes da luta: 15-8
Últimas 5 lutas: 0-4-1

Ryan Bader

Cartel antes da luta: 12-1
Últimas 5 lutas: 4-1

De um lado, Ryan Bader havia acabado de perder para Jon Jones em uma luta onde o vencedor enfrentaria Mauricio ‘Shogun’ Rua, campeão dos meio-pesados do UFC naquele momento, no outro lado, Tito Ortiz fazia sua suposta despedida do UFC. Se Tito Ortiz vencesse, aqueles que apostassem nele ganhariam 8 vezes o valor apostado. Bader era um wrestler melhor que Tito, além de ser mais forte e mais atlético e estar em um momento muito melhor, Tito não vencia há 5 anos e Dana anunciou que se perdesse (o que parecia óbvio), ele estaria fora do UFC e, supostamente, aposentado. A hora chegou e o mundo calou-se. Em menos de 2 minutos, Tito acerta um hook certeiro derrubando Bader e o encaixa numa guilhotina sensacional, Bader desiste, Mario Yamasaki para a luta e Tito Ortiz renasce. Em um dos maiores momentos da história recente do UFC, a grande promessa Ryan Bader perdia para o supostamente acabado Tito Ortiz que comemorou como se tivesse ganho o primeiro título de sua carreira. Desde então, Bader venceu Jason Brilz e Rampage Jackson e agora busca vencer Lyoto Machida para voltar a se estabilizar no topo da categoria enquanto Tito Ortiz perdeu outras 3 lutas (contra Rashad Evans, Minotoro e Forrest Griffin) e foi demitido.

8. Frankie ‘The Answer’ Edgar vs. B.J. ‘The Prodigy’ Penn (UFC 112 – Invincible)

Frankie Edgar

Cartel na época: 11-1
Últimas 5 lutas: 4-1

BJ Penn

Cartel na época: 15-5-1
Últimas 5 lutas: 4-1

Com a falta de candidatos para enfrentar BJ Penn, na época o lutador #4 do mundo (atrás apenas de Fedor, Anderson e GSP), o UFC decidiu colocar Frankie Edgar, cuja maior vitória havia sido uma zebra enorme contra Sean Sherk e estava vindo de vitória sobre o desconhecido Matt Veach, para enfrentar Penn. Em uma luta desigual similar à que veremos entre José Aldo e Erik Koch (Aldo é um dos 5 melhores do mundo peso-por-peso e Koch nunca teve grandes vitórias), BJ Penn era considerado favorito com Edgar pagando mais de 9 vezes o valor que fosse apostado nele. BJ Penn entrava no octógono vindo de 2 defesas de cinturão, uma derrota apertada para GSP em uma luta onde se vencesse seria o 1º lutador da história do UFC com 2 títulos em categorias diferentes ao mesmo tempo e ainda estava em seu auge. No começo da luta, aconteceu o esperado e BJ explodiu pra cima de Edgar, porém o tempo foi passando e o coração de Frankie foi se mostrando o fator principal de sua vitória, batalhando contra tudo e todos para vencer BJ Penn em uma apertadíssima decisão e colocar seu nome no hall dos campeões do Ultimate Fighting Championship.

7. Mike Thomas Brown vs. ‘The California Kid’ Urijah Faber (WEC 36 – Faber vs. Brown)

Mike Thomas Brown

Cartel na época: 19-4
Últimas 5 lutas: 5-0

Urijah Faber

Cartel na época: 21-1
Últimas 5 lutas: 5-0

Urijah Faber era o rei dos pesos-penas. O campeão mais dominante da história do título vinha de 5 defesas de título do WEC enquanto Mike Brown tinha acabado de estrear e vencer uma decisão sem sal sobre Jeff Curran. Era mais uma vitória para o cartel de Faber e ninguém duvidava disso, a luta começa, Faber parte pra cima e acerta sua primeira explosão, tudo ia ocorrendo como todos esperavam, até que Faber explode novamente e toma um uppercut certeiro, jogando-o para outro planeta, Mike Brown aproveita que Faber está praticamente apagado e desce uma rajada de socos. Luta acabada. Fãs do WEC estão boquiabertos. Mike Thomas Brown é o novo campeão dos pesos-penas. Muitos disseram que foi um golpe de sorte então menos de um ano depois, Brown aceita uma revanche e mostra que não precisa de sorte para ganhar de Faber, dominando-o e vencendo-o em uma fácil decisão. Na luta seguinte, Brown perde o título para o atual rei dos penas, José Aldo. Urijah Faber desde então lutou em 5 diferentes lutas por título em 2 diferentes categorias, perdendo todas.

6. Brian Bowles vs. Miguel Angel Torres (WEC 42 – Torres vs. Bowles)

Brian Bowles

Cartel na época: 8-0
Últimas 5 lutas: 5-0

Miguel Angel Torres

Cartel na época: 37-1
Últimas 5 lutas: 5-0

Pense em quanto Anderson Silva é dominante entre os médios atualmente, só que dobrado. Era assim que Miguel Angel Torres se sentia no topo da divisão dos pesos-galos. O melhor lutador da história da categoria, Torres não dava espaço para ninguém, defendendo seu título de forma extremamente dominante em todas as lutas. Bowles era uma boa promessa, mas não ameaçava o reinado de Torres. Com a falta de oponentes, Bowles se tornou a única opção e o duelo era semelhante ao que aconteceria em um confronto entre Anderson Silva e Ronny Markes, Markes é uma boa promessa, mas Anderson é obviamente o favorito, pois bem, chega a hora, a luta começa e Torres a domina por inteiro, como esperado. Em uma sequência, Bowles acaba sentindo e Torres explode pra cima dele, porém um contra golpe de Bowles atinge a campainha de Torres que cai desacordado no fim do 1º round, é o fim da dinastia de Torres como peso-galo. Bowles então perdeu o título para Dominick Cruz enquanto Torres nunca mais foi o mesmo, perdendo 3 lutas em 6.

5. Gabriel ‘Napão’ Gonzaga vs. Mirko ‘Cro Cop’ Filipovic (UFC 70 – Nation Collide)

Gabriel Gonzaga

Cartel na época: 7-1
Últimas 5 lutas: 5-0

Mirko Cro Cop

Cartel na época: 22-4-2
Últimas 5 lutas: 5-0

Perna direita: hospital, perna direita: cemitério. Foi assim que Mirko CroCop definiu seus chutes, sem dúvidas, os mais fortes da história do esporte. Ao entrar no octógono no UFC 70, CroCop vinha de 5 vitórias seguidas e estava a uma vitória de conquistar uma title shot no UFC. Seu oponente era o desconhecido Gabriel Gonzaga, conhecido por seu bom jiu-jitsu. Napão vinha de vitórias sobre nomes pouco conhecidos no UFC e era o total azarão da luta. Para resumir, tinhamos o striker mais perigoso do mundo contra um faixa-preta de jiu-jitsu que nunca havia vencido ninguém de nome, o cenário parecia óbvio: mais uma vítima de um head kick. E foi isso que aconteceu, mas não para o lado de CroCop. Gonzaga calou o mundo e chocou a todos ao nocautear CroCop com um head kick, sua arma favorita. CroCop dominava o 1º round quando, faltando 9 segundos pra acabar, Gonzaga resolveu atirar o golpe e chocar a todos, ao ver seu golpe acertando em cheio. Gonzaga então disputou o título dos pesados contra Randy Couture, mas acabou derrotado. Já CroCop nunca mais foi o mesmo, perdendo 5 lutas dentre 11 disputadas.

 

4. Forrest Griffin vs. Mauricio ‘Shogun’ Rua (UFC 76 – Knockout)

Forrest Griffin

Cartel na época: 14-6
Últimas 5 lutas: 3-2

Mauricio Shogun

Cartel na época: 16-2
Últimas 5 lutas: 4-1

Shogun chegou ao UFC com pinta de que iria dominar os meio-pesados por um bom tempo. Sendo um dos maiores nomes do PRIDE e um dos 3 melhores meio-pesados do mundo no momento, Shogun pegaria Forrest Griffin em sua estreia, um bom oponente, porém que para a esmagadora maioria não teria chances contra o muitíssimo mais completo Shogun. A luta começa e os 3 rounds seguintes são de cair o queixo. Griffin domina toda a luta e, ao fim do 3º round consegue finalizar o faixa-preta de BJJ, Mauricio ‘Shogun’ Rua. Esta foi a primeira derrota de Shogun sem ser para Mark Coleman e foi sua pior apresentação em sua carreira segundo o próprio. Griffin ganhou o contender por vencer Shogun e acabou se tornando campeão dos meio-pesados, mas foi derrotado por Rashad Evans na luta seguinte. No UFC 134 (no Rio de Janeiro), Shogun teve sua tão sonhada revanche e nocauteou Griffin ainda no 1º round.

3. Rameau Thierry ‘The African Assassin’ Sokoudjou vs. Antonio Rogerio ‘Minotoro’ Nogueira (PRIDE 33 – Second Coming)

Sokoudjou

Cartel na época: 2-1

Antonio Minotoro

Cartel na época: 12-2
Últimas 5 lutas: 4-1

Minotauro era considerado um dos 5 melhores lutadores do mundo na época, seu irmão gêmeo era Minotoro que vinha de Dan Henderson e Overeem, além de uma derrota disputadíssima contra a lenda Maurício Shogun, Minotoro ganhava outra luta para se recuperar, ele iria enfrentar o desconhecido Sokoudjou, africano que vinha de derrota para Glover Teixeira. Minotoro era melhor boxeador, melhor wrestler e melhor lutador de jiu-jitsu, Sokoudjou estava perdido. Estava. Em uma das maiores zebras da história do esporte, Sokoudjou tentou alguns chutes e, quando Minotoro entrou para golpear, sofreu um hook certeiro, nocauteando-o e lançando Sokoudjou ao mundo. Esta não foi a única zebra de Sokoudjou, que ainda nocauteou Ricardo Arona em sua luta seguinte. Minotoro então ganhou 7 lutas consecutivas antes de ser derrotado por Ryan Bader já no UFC, hoje, Minotoro é um dos 20 melhores meio-pesados do mundo enquanto Sokoudjou se afunda cada vez mais, com um cartel de 12 vitórias e 10 derrotas.

2. Matt ‘The Terror’ Serra vs. Georges ‘Rush’ St. Pierre (UFC 69 – Shootout)

Matt Serra

Cartel na época: 9-4
Últimas 5 lutas: 3-2

Georges St. Pierre

Cartel na época: 13-1
Últimas 5 lutas: 5-0

Tendo acabado de ganhar o TUF 4, Matt Serra havia ganho o direito de lutar pelo título de GSP, considerado na época um dos 3 melhores lutadores do mundo, assim como hoje. Como dito depois em entrevistas, nem Matt Serra acreditava em si mesmo. A luta começou e Serra foi se segurando como podia, com GSP dominando-a por inteiro, até que Serra tenta um pombo-sem-asa, acertando-o em cheio e fazendo GSP ficar extremamente grogues, mais uns swings e GSP está nocauteado, Matt Serra é o novo campeão dos meio-médios e a maior zebra da história do UFC. Matt Serra então lutou novamente contra GSP um ano depois e perdeu por TKO no 2º round, desde então, ganhou apenas mais uma luta e está semi-aposentado com um cartel de 11 vitórias e 7 derrotas, já St. Pierre recuperou seu cinturão e voltou a ser um dos 3 melhores lutadores de todo o mundo, além de ser um dos melhores de todos os tempos, acumulando mais 9 vitórias desde então.

1. Fabricio Werdum vs. Fedor Emelianenko (Strikeforce – Emelianenko vs. Werdum)

Fabricio Werdum

Cartel na época: 13-4
Últimas 5 lutas: 4-1

Fedor Emelianenko

Cartel na época: 31-1
Últimas 5 lutas: 5-0

Fedor era o maior do mundo, o maior de todos os tempos, a estrela do Pride, havia derrotado 5 ex-campeões do UFC, nunca havia sido derrotado, tampouco dado margem à derrota, Fedor Emelianenko era invencível. Fabricio Werdum tinha saído do UFC após disputas contratuais, nunca havia sido visto como um grande lutador de MMA, mas era um respeitado faixa-preta de Jiu Jitsu. A luta começa, Fedor como sempre consegue um knockdown e vai pra cima de Werdum, então o impossível acontece. Fabricio Werdum finaliza Fedor Emelianenko com um triângulo e acaba com a invencibilidade do maior de todos os tempos. Foi a maior vitória da carreira de Werdum e foi um dos maiores momentos da história do MMA, a maior zebra da história foi a queda do gigante, da lenda de Fedor Emelianenko, o fim de sua invencibilidade de mais de 10 anos e 30 lutas.

About Lucas Lutkus

Acessem http://winformativo.com/ e https://inthefightclub.wordpress.com/

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: